ALTERITAS – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Diferença, Arte e Educação
  • NOVEMBRO NEGRO: RESISTÊNCIA ANTIRRACISTA E O ESTADO DE EXCEÇÃO.

    Publicado em 01/11/2018 às 16:54

    Estão abertas as inscrições para a OFICINA DE BONECAS/OS NEGRAS/OS. Lembramos que as vagas são limitadas!

    Acesse o formulário de inscrição: https://goo.gl/forms/Rc9gqUfpGRg28aQU2


  • NOVEMBRO NEGRO: RESISTÊNCIA ANTIRRACISTA E O ESTADO DE EXCEÇÃO.

    Publicado em 31/10/2018 às 12:36

    O grupo pesquisa Alteritas tem o prazer de convidar a todes para a programação do novembro negro! Resistência Antirracista e o Estado de Exceção. Venha construir mais um espaço de resistência e luta dentro da nossa universidade!


  • Palestra sobre Empreendedorismo AFRO

    Publicado em 13/09/2018 às 18:41

    As inscrições estão abertas de forma gratuita, com entrada de 1kg de alimento não perecível que será doado para o CEAFIS (Centro de Apoio à Formação Integral do Ser). Fundado em dezembro de 1997, desenvolve a Ação Social da Casa Espírita Recanto de Luz, tendo na sua origem o importante objetivo de aliar-se em prol da educação no nosso país, empreendendo ações de caráter construtivo junto a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e promovendo o resgate da cidadania, da autoestima, da inclusão social e do desenvolvimento pleno do Ser.
    Mundo de Gigantes é uma série mensal de eventos com foco em trazer pessoas para dividir conhecimento com a missão de um bem comum. O que for recolhido das inscrições será destinado para os verdadeiros gigantes do dia a dia, pessoas comuns com propósito no coração.

    Palestras:

    Celso Athayde – Empreendedorismo Social na Base da Pirâmide
    Criador da primeira Holding Social, Celso Athayde irá apresentar a Favela Holding e seu grupo de empresas, em especial a recém-criada plataforma Black&Black, a primeira rede social voltada para integração entre negros e negras, nas mais diversas atividades como empreendedorismo, empregabilidade, beleza, religião, política, cultura entre outros.

    Marciele Delduque – Comunidade Door (Empreendedorismo social na base da pirâmide) Marciele falará sobre a Comunidade Door, empresa integrante do Grupo Favela Holding, que comercializa espaços publicitários nas favelas, através da instalação de painéis em áreas de grande circulação de pessoas. Presente em mais de 3.500 cidades do Brasil, a Comunidade Door tem como colaboradores profissionais do mercado publicitário e moradores de favelas.

    Patrick Palmeira – Formalização: Como isso mudará seu negócio?
    Em pesquisa recente do Sebrae, 50% dos empreendedores do Brasil são negros e uma boa parcela não está formalizada. Qual o impacto disso no seu negócio? Por que você deve formalizar seu empreendimento? Quanto custa para fazer isso? “Quais serão minhas obrigações ao legalizar meu negócio”?

    Álvaro da Luz – Comportamento Econômico: Muito Além da Educação Financeira
    Em nossa visão, o problema da educação financeira passa por uma importante decisão econômica. Todos os seus recursos são escassos. Seu tempo, sua atenção, sua capacidade de concentração e, é claro, suas finanças. É preciso que você coloque seus recursos escassos naquilo que é mais importante para você, de acordo com seu momento de vida. Para nós, o sucesso destas escolhas passa por encará-las através do seu comportamento econômico. Mas para isso você precisa saber, honestamente, o que realmente é importante para você.


  • NEGRAS VOZES: resistências culturais em SC

    Publicado em 12/06/2018 às 14:40

    Tendo como objetivo continuar a contribuir com a difusão da história e cultura afro-catarinense, brasileira e africana, por meio de um acervo digital sobre a resistência afro-catarinense, promovida por organizações e movimentos negros a partir do século XX. O projeto propõe-se a colaborar na construção da memória social da população negra em Santa Catarina, imprescindível para a consolidação de novas narrativas da composição étnico-racial. Além disso, se propõe a contribuir com o fortalecimento da universidade como espaço intelectual, científico, educativo e político para a modificação do padrão desigual e discriminatório das relações étnico-raciais que ainda reverberam em seu interior. Por fim, ressaltamos que no ano de 2017 o referido projeto recebeu apoio institucional por meio do Edital Secarte n. 006/2016.
    Este projeto nasceu em 2015 de uma necessidade sentida por estudantes e professora, de possibilitar a visibilidade da presença negra intelectual e suas produções acadêmicas no âmbito do Centro de Ciências da Educação. No mesmo ano com o respaldo de acadêmicos voluntários foram realizadas uma série de atividades como: sarau poético musical,mesas redonda, mostra intelectuais negras e negros. Em 2016, com o apoio do Probolsas, conseguimos realizar as seguintes atividades: 1) Mostra “Negras Vozes – Intelectuais Negras/os” no Colégio de Aplicação – CA/UFSC; 2) II Sarau Poético-Musical no Hall do Centro de Eventos; 3) Participação no 34o SEURS – Seminário de Extensão Universitária da Região Sul; 4) Curso: Introdução ao Pensamento de Frantz Fanon e 5) Participação na 15a SEPEX – Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC. Em 2017, a exposição fotográfica NEGRAS VOZES: INTELECTUAIS NEGROS/AS NO CURRÍCULO, fez parte da agenda cultural do III Congresso de Pesquisadores/as Negros/as da Região Sul (COPENE SUL), realizado na Universidade Federal de Santa Catarina em junho e a Mostra que foi intitulada como “Resistências Negras em SC”, que ocorreu de 20 de novembro a 07 de dezembro de 2017, no hall do Centro de Eventos da UFSC. Ainda no mesmo ano, tivemos como resultado, também, O Acervo Digital é composto por fotografias, documentos, revistas e folders disponíveis em PDF para consulta pública.

    PALAVRAS-CHAVE: cultura; população negra, memórias.


  • PATRIMÔNIO CULTURAL E PRESENÇA NEGRA EM SANTA CATARINA

    Publicado em 12/06/2018 às 14:22

    Tendo como objetivo de visibilizar as narrativas da história e cultura afro-catarinense, brasileira e africana, e com o intuito de potencializar a composição das memórias da população negra do estado de Santa Catarina. Pretende também afirmar a resistência da população negra presente no mundo urbano e rural, onde as religiões de matrizes africanas, os clubes negros, as irmandades, os festejos, as escolas de samba e a diversidade de manifestações culturais de origem africana, sustentam e legitimam as negras e negros no sul do Brasil como sujeitos ativos da história e memória presente. Serão realizadas: mesas redondas, palestra, oficinas, lançamentos de livros nos campi envolvidos. Pretende-se alcançar estudantes, professores/as, pesquisadores/as, ativistas antirracismo e comunidade em geral.
    Com o apoio do PROCULTURA 2018 – Apoio às ações de cultura, o projeto, visa realizar um conjunto de atividades inter campi (Trindade, Blumenau e Araranguá). Compreendemos que estas se constituem em atividades educativo-culturais já que integrarão ações como: cine debate, mesas-redondas, cujas temáticas abordarão aspectos do patrimônio cultural afro-brasileiro, como: religiosidades, hip hop, samba, quilombos, lançamento de livros etc.

    Palavras-chave: Patrimônio cultural, presença negra, história e cultura-afrocatarinense.


  • Lançamento do Acervo Digital “Resistências Negras em SC”

    Publicado em 30/10/2017 às 13:37

    A ação faz parte do ciclo de ações Enegrecer realizado pelo grupo LITERALISE, ALTERITAS, NUVIC, PET Pedagogia, Confraria Literária do Colégio de Aplicação, e com apoio da SeCArte .

    O lançamento acontecerá no auditório do CED, no dia 1º de novembro, quarta feira, as 15h e 30 min. São todas e todos muito bem vindas.


  • Acervo Digital “Resistências Negras em SC”

    Publicado em 06/10/2017 às 14:14


  • Projeto: Professoras Negras na Educação Infantil: trajetórias, desafios e lugares da mulher negra nos espaços da docência – Fabienne Neide da Cunha

    Publicado em 12/09/2017 às 14:11

    Objetivo geral: Compreender onde estão as professoras negras da Educação Básica da Rede Municipal de Florianópolis com recorte na educação infantil, como realizaram os seus processos formativos até a docência e como essas trajetórias se relacionam com os caminhos que percorrem para constituírem as suas identidades profissionais.


  • TCC – Quem é a família do Livro Didático? Uma análise sobre as representações – Jony Sandi de Assunção

    Publicado em 12/09/2017 às 12:50

    OBJETIVOS: 
    Meu objetivo foi identificar e problematizar quais são as representações de família que são trazidas para o processo de escolarização dos alunos nos livros didáticos, e se houve uma desconstrução ou se ainda tem um fortalecimento da família heterossexual em que é composto por um casal de homem e mulher, sendo desconsideradas outras configurações de família.
    As questões que me orientaram nessa pesquisa foram: Como a família vem sendo representada nas imagens dos livros didáticos? Considerando a questão da diversidade sexual houve alguma mudança nessas representações? Suas representações estão em consonância com a realidade da sociedade brasileira? 


  • Dissertação: QUANDO O TEXTO FALA: ANÁLISE DE NARRATIVAS DE MULHERES TRABALHADORAS – Zâmbia Santos

    Publicado em 12/09/2017 às 12:50

    OBJETIVOS:
    Reconhecer como os processos de educar-se, a educação que ocorre através de vivências; Visa apontar espaços de educação não formal através das experiências vivenciadas pelas autoras trabalhadoras e por tantas outras trabalhadoras que não escreveram suas jornadas em livros;  Problematizar o gênero textual presente na escrita dos livros Só a gente que vive é que sabe: depoimento de uma doméstica (1982) escrito por Lenira Maria de Carvalho e Ai de vós! Diário de uma doméstica (1983) escrito por Francisca Sousa da Silva; Demarcar histórica e politicamente o contexto de produção das narrativas de forma interseccional entrelaçando raça, gênero e classe, compreendendo-os como conceitos estruturantes da sociedade brasileira.